Está a aumentar o número de municípios, em Portugal, dispostos a devolver o IRS. Este ano são já 102 os que aceitaram fazê-lo, em 2016 haviam sido 96 e, em 2015, 78. As autarquias podem optar por ficar com uma percentagem da coleta do IRS (que pode ir até 5%) para reforçarem os seus orçamentos, ou devolvê-la aos contribuintes (na totalidade ou em parte). Segundo dados da Autoridade Tributária, os concelhos vizinhos de Castelo de Paiva, Lousada, Paredes e Cinfães estão entre os que adoptaram esta prática, de devolução. Para o PS local esta recusa, por parte da Câmara de Penafiel, em proceder à devolução do IRS é alvo de fortes críticas: “um investimento desmesurado em tudo que contribua para alimentar a sua máquina de propaganda política (veja-se as dezenas de “oudtdoor´s espalhadas pelo concelho) e, em contra ponto, uma opção de “garrote” e austeridade em tudo que traga um benefício económico real para os penafidelenses. Não obstante o Partido Socialista vir apresentando, há vários anos, a proposta de devolução do IRS, dentro da disponibilidade legal da Câmara Municipal de Penafiel, aos penafidelenses, voltamos a constatar que em 2017 a CMP volta a optar por não o fazer.” Tentamos, junto da Câmara de Penafiel, obter uma reação acerca desta matéria mas não nos foi prestado qualquer esclarecimento. Esperamos que, num país em que a carga fiscal geral é já tão elevada, as autarquias façam o que está ao seu alcance para aliviar um pouco esse sufoco.