O último relatório de gestão e contas (RGC), apresentado pelo actual executivo da câmara penafidelense, não alcançou a simpatia dos vereadores da oposição. O PS local foi arrasador ao classificar este documento. Os vereadores socialistas ressaltaram o facto patente no referido relatório e que dá conta do preocupante prazo médio de pagamentos a fornecedores, em média superior a 300 dias, o pior da região. Com efeito o NP já tinha noticiado esta situação. Recentemente, na edição de 24 de fevereiro, demos conta do relatório apresentado pela Direcção Geral das Autarquias Locais e que evidenciava o péssimo lugar ocupado pela Câmara de Penafiel no ranking dos municípios mais devedores: encontra-se em 296º lugar no conjunto dos 308 concelhos portugueses. Mais grave, este número quase duplicou no último ano. Outro dado, presente no RGC, e que fundamenta o chumbo por parte dos vereadores socialistas, prende-se com a execução financeira que não superou os 62%. Significa isto que quase metade das receitas e despesas orçamentadas não se realizaram de facto. Em comunicado o PS refere: “os orçamentos elaborados do município têm sido sistematicamente fundados em previsões de receitas e despesas completamente irrealistas, constantemente desmentidas pela realidade da execução.” É igualmente criticada a alegada redução do endividamento municipal feita à custa de: “uma completa inação do executivo durante os últimos 3 anos e meio de mandato, que poucas intervenções levou a cabo, começando apenas agora a fabricar obra a toda a pressa com intervenções de objetivo estritamente eleitoralista e cujo pagamento deslizará para os próximos anos.” Perante estes dados foi com naturalidade que os vereadores socialistas chumbaram as contas camarárias.